martes, 21 de diciembre de 2010

Instituições bancárias e outras neuroses

Por volta de 11:30, Dylan e Thomas conversam....

Dylan: - E aí, meu caro. Tudo bom?

Thomas: - Porra, chegando agora no trabalho? [risos]

D: - Nada, cheguei 10h30. Tive que ir ao banco resolver minha situação, agora tenho que abrir uma conta.

Thomas demonstra uma irritação súbita...

- Puta que pariu! Você é problemático demais. Por que não aproveitou e abriu uma? Deixa de ser velho, chato, ranzinza.

D: - Você parece nervoso, mantenha a calma. O banco me deu dor de cabeça. Não faz sentido eu encerrar a conta e, logo em seguida, abrir uma.

T: - Tudo bem, mas você poderia ter ido a outro banco então, né?

D: - Hoje? Não, não queria ficar o dia inteiro resolvendo isso. Vou fazer isso depois.

Em outro ataque de fúria, Thomas reage com mais palavrões...

- Puta que pariu! Você é complicado demais, cara. Mulher não gosta disso. [gargalhadas].

D: - Hoje não estou a fim de mexer com isso. Pode ser na semana que vem. Quero almoçar, ficar tranquilo. Não posso passar mais de 45 minutos em um banco. Meu organismo reage de uma maneira incrível, quase letal.

T: - Isso tudo é criação da sua cabeça. Psicológico, murrinha para não andar como pede o Sistema.

D: - Você está equivocado. A coisa é simples: só não fui hoje porque não preciso ter pressa para abrir uma porra de uma conta. Não posso correr demais, não posso ser apurado demais, se não acabo caindo e morrendo. A multidão passará ferozmente por cima do meu corpo, que será varrido como lixo para o canto da avenida...
 
Mostrando um assustador e violento descontrole, Thomas perde a paciência por completo, interrompe Dylan e termina o assunto gritando desesperado:

- Chegaaaaa.

miércoles, 15 de diciembre de 2010

Viva os torturadores! Viva o Brasil-sil-sil!

Em uma decisão inédita, a Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos) condenou o Estado brasileiro por não ter investigado crimes cometidos pela ditadura militar (1964-1985) no combate à Guerrilha do Araguaia.

Matéria continua no R7.

Confira os comentários de Paulo Henrique Amorim no Conversa Afiada.

Pinochet, amigo íntimo de Nelson Jobim

lunes, 6 de diciembre de 2010

Aquele olhar

Me fascina seu olhar. Me encanta quando ele brilha, ofuscando qualquer sinal de beleza a sua volta. Transborda de seus olhos um sentimento absurdo, incontrolável. Desafia-me, pois bem sei o que neles esconde. De nada adianta recorrer a filósofos, astrólogos ou vagabundos iluminados. Eles não entenderiam. Assim como na vida, para você não há resposta. Eu soube disso naquela manhã quando nos cruzamos torpes pela calçada que ainda sente o peso dos nossos passos descompassados.

Seu olhar mostrou-me o indizível, o que nem Nelson Rodrigues conseguiu decifrar em sua incessante busca pelo desnudamento da alma. Coisa de um tolo apaixonado, seguramente diria um rufião melancólico. Não me importa, realmente. Naquela fração de segundo, vi a eternidade, voei ao som de Nessun Dorma e repousei, sorrindo, atônito, na nuvem ali cuidadosamente pincelada.

E agora, diante da realidade desses dias sem graça, a chuva cai, despretensiosa, borrando da minha memória aquela reveladora manhã.

*Texto de minha autoria originalmente publicado na Revista Ragga, edição de dezembro.

miércoles, 24 de noviembre de 2010

Desde la terraza de Domus

En alguna noche de 2008...

Vagando en pedo por la terraza. La terraza esa donde fui feliz, donde canté y bailé "Honey pie", donde fumé porros y porrazos, donde saqué fotos de una guitarra mística y alenté por Cruzeiro y Boca.

¡Che, Quique! It hurts me too, ¿te acordás? ¡Me machuca igual, gordito!

¡Gabi! ¿Te acordás de esa? Someday after a while ¿Qué grandísimo hijo de puta, qué solo, no?

Que estén bien, chicos.

Los quiero. Cuidénse.

A ver si tocamos unos blues por San Telmo...

jueves, 11 de noviembre de 2010

A lágrima, límpida como prata
lhe descia a face
face ao tempo que lhe escorria
rasgando a carne

E com o corpo rendido
incapaz de sustentar uma cruz
o espelho se refletiu na alma
outrora luz, agora tonelada.

... no Museu de Arte Moderna, em Salvador
17/04/10

lunes, 8 de noviembre de 2010

“Estamos criando um monstro”

A frase acima foi dita pelo técnico Renê Simões, numa dura crítica a Neymar pela sua falta de educação e desobediência ao técnico Dorival Júnior, que acabou sendo demitido do Santos. “Está na hora de alguém educar esse rapaz”, completou. Arquétipo de Robinho, ídolo de crianças que imitam seu corte de cabelo, coreógrafo de dancinhas pós-gol e tuiteiro de todas as horas, Neymar carrega a dor e a delícia de ser um garoto de 35 milhões de euros. Criador de polêmicas, jogadas geniais e dribles que infernizam “joões” pelos gramados, o “Menino da Vila”, metade jogador, metade pop star, completou a maioridade este ano sob as luzes dos holofotes da imprensa. 

Quem está criando um monstro? A própria criatura, num ataque de autodestruição – ou de redenção? A mídia, que toca fogo no circo, lava as mãos e bate palma? Os torcedores, reféns de sua própria adoração pelo esporte bretão? Ou um país incapaz de questionar a verdadeira importância de seus ídolos?

* Texto de minha autoria originalmente publicado na Revista Ragga, edição de outubro.

lunes, 1 de noviembre de 2010

Agora é Dilma!

 
Depois de Dilma eleita, o PiG* já se arma para fazer com ela o que fez nos oito anos de Lula: desqualificar e ofender governo, ministros e a figura do Presidente.

Dilma eleita: vitória de Lula. Essa foi a manchete de hoje do Estadão. Eles querem dizer que Dilma não é ninguém. É um poste. 

O Estadão está enganado. A vitória é de Lula, minha, de quem votou na Dilma, de quem saiu da linha da miséria, de quem entrou em uma universidade pelo Pro-Uni, de quem quer um país com uma distribuição de renda mais justa e, sobretudo, de quem quer demos e tucanos longe, bem longe do poder.

Dilma neles!

* Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

martes, 26 de octubre de 2010

Carta a uma amiga...

Querida companheira...

A mim já disseram "fantoche do Lula", "pau mandado do Lula", "marionete do PT" e que eu só voto na Dilma "porque o papai Lula mandou". Arregalam os olhos quando falo que vou votar na Dilma. Outro dia fui almoçar com um pessoal e quando revelei meu voto, a mulher que se sentava à minha frente riu de canto de boca, com indisfarçável pena que sente deste jornalista ingênuo que ainda cai no conto do PT. Sim, é isso que falam. "Mas, Bruno, você vai votar em quem quer controlar a imprensa?", dizem alguns. Engaçado, não? Esse papo de PT e Lula quererem controlar a imprensa e instalar uma ditadura aqui na terra do samba e da cerveja gelada é um blábláblá que beira a comédia sem graça com o selo de excelência Casseta e Planeta. O Marcelo Madureira, outro dia no Manhattan Conection, chamou o presidente de pilantra, vagabundo e picareta. É mole? Nunca vi tamanho desrespeito à figura do Presidente da República como nesses últimos oito anos.

Sei, cada dia mais, das minhas razões para votar na Dilma, e cada minuto que passa sinto-as mais fortes e concretas em minha cabeça e, quiçá, no meu coração. (Apenas um comentário: me parece que tivemos no primeiro turno um fenômeno engraçado: quem votou na Dilma, o fez porque o Lula mandou. A Dilma é um poste; quem foi de Serra, não sabe a bobagem que fez, ele consegue ser pior que a Dilma; e quem apoiou a Marina mostrou-se o único eleitor, de fato, com consciência política, realmente preocupado com o futuro deste planeta errante. Foi "cool" votar na Marina, foi bacana, foi Wagner Moura demais!)

O discurso agressivo, mentiroso, raivoso e intolerante começou do lado do Serra e da campaha demotucana baseada em mentiras e histórias descabidas a respeito de Dilma. Milhares, histórias lunáticas. Conta meu pai que outro dia escutou um camarada comentar que a Dilma, certa vez naqueles tempo militares, tirou uma arma da vagina e matou o general que a interrogava. Já imaginei a cena filmada pelo Tarantino. Assassina, terrorista e assaltante de bancos é o tom. Sim, já questionaram a sexualidade de Dilma e, preocupados com o país, alertam a população sobre a possibilidade dela não conseguir governar o Brasil, doente que está, coitada. Até a mulher do Serra falou que a Dilma é a favor de matar criancinhas. Pô, que primeira-dama elegante!

Essa rede de absurdos e ataques pessoais à candidata petista contaminou os eleitores tucanos (a maioria, devo dizer, pois não gosto de generalizar), que começaram a espalhar o ódio e a mentira por e-mails, numa campanha em que o caluniador tem um papel interessantíssimo e fundamental. O Obama sofreu o mesmo nos EUA, precisou criar uma central para combater as inverdades jogadas na internet, coisa que foi feita tardiamente pela campanha petista. Não creio que você tenha caído nesse blábláblá. Desconfio que seu discurso seja mais lúcido, muito embora você esteja, na minha inofensiva opinião, defendendo o indefensável quando confirma 45 nas urnas.

Defender o direito ao voto no Serra - o que é legítimo de sua parte, diga-se - é, também, carregar o ônus das atitudes do Vampiro. Por isso te chamaram de reacionária, porque o Serra aliou-se com o que há de mais reacionário e conservador no Brasil: além de ter o vice que tem, que é do DEM, ele recebe apoio da TFP, da direita cristã, da Opus Dei... Daqui a pouco vão fazer uma Marcha com Deus pela Família.

beijos,
Bruno.

Sei que você gosta muito do FHC. Acesse aqui. Trata-se uma carta aberta ao ex-presidente, que foi publicada no site Carta Maior. Não é grande e vale a pena ler...

lunes, 18 de octubre de 2010

                                 O apresentador do jn, William Bonner

Sentei-me no sofá a comer strogonoff . Liguei a TV e caí logo no jornal do casal 45.

Resolvi assistir. Aquele bloco mostrava uma matéria sobre o dia dos candidatos à presidência, José Serra e Dilma Rouseff. Na parte destinada a Serra, o jn deu matéria mostrando o apoio de dois políticos do PV à candidatura do tucano. Um deles, Fernando Gabeira. Ali estava Gabeira sorrindo ao lado de José Serra.

Na parte que tocava à candidata petista, Fátima disse que Dilma não cumpriu agenda durante o dia e à noite se reuniria com artistas e intelectuais.

Fátima, no entanto, se "esqueceu", coitada, de dizer que o evento é, em verdade, um encontro no Teatro Casagrande, no Rio, entre Dilma Rousseff e um grupo liderado por Chico Buarque, Leonardo Boff e Emir Sader, que entregará um manifesto de artistas e intelectuais em apoio à candidatura da petista.

Isso foi omitido.

Esse é o jornalismo isento do casal 45 e da Rede Globo.

Leia aqui o manifesto.

miércoles, 13 de octubre de 2010

A política habitacional de José Serra

José Serra tem nojo de pobre.

Ele, como Figueiredo, prefere o cheiro do cavalo ao cheiro do pobre.

No Governo Lula, o programa Minha Casa, Minha Vida, que financia pela Caixa Econômica Federal moradia para pessoas de baixa renda, atingiu em setembro deste ano mais de 600 mil moradias.

Agora vejam, meus caros amigos, como José Serra se refere ao projeto feito por ele e pelo PSDB no governo FHC.

lunes, 4 de octubre de 2010

"Segundo a assessoria, Tiririca só vai se pronunciar na semana que vem".
Quando escutei a frase no JN, soltei uma risada digna de uma excelente piada.

 
 Clique e saiba o que aflige o deputado mais votado do país.

P.S: Neste mesmo horário, há exatos três anos, eu caminhava levemente bêbado por San Telmo, em minha primeira das quase 500 noites que passei em Buenos Aires. Te extraño, mi Buenos Aires querido.

lunes, 6 de septiembre de 2010

Invente uma manchete para a Folha de S. Paulo

No último domingo, a Folha, na incansável tentativa de derrubar a candidatura de Dilma Rousseff, soltou a seguinte manchete fantasiosa de 1ª página, culpando a candidata do PT no caso das tarifas de energia elétrica: "Consumidor de luz pagou R$ 1 bi por falha de Dilma". 

A Folha já publicou ficha falsa de Dilma. Com a iminente lavada que Serra levará nas urnas, o jornal dos Frias está desesperado. José Serra deve ligar todos os dias para o "Otavinho" e perguntar: - Vocês vão dar um jeito na terrorista ou não?

Depois da manchete de ontem, a Folha virou motivo de piada na internet. O assunto (#dilmafactsbyfolha) é o terceiro mais comentado no Twitter. Saiu até no jornal inglês The Independent.

Para acompanhar é só clicar aqui

Minha sugestão: Mark David Chapman assassinou John Lennon a mando de Dilma

Outras que vi por aí:
- Dilma inventou a vuvuzela
- Dilma comemorou com uruguaios a Copa de 50
- Dilma mudou Orkut pra pior
- Dilma foi quem atirou em Kennedy
- Dilma convida Bush pra participar do seu futuro Governo (ainda não se sabe qual o cargo) 
- Dilma quebra sigilo bancário de adversário em Banco Imobiliário
- Dilma cortou a perna do Saci com serra 
- Folha descobre que sobrenome de Judas é Roussef
- Dilma era a cardiologista do Michael Jackson 
- Dilma indicou o vice do Serra 
- Dilma Roussef atirou o pau no gato 
 
                                 Essa foi a sugestão do Airton, do blog Metal Cadente

martes, 31 de agosto de 2010


Ah, San Telmo...
sos un amigo que hace mucho no veo
una mujer que me mira pero no la puedo ver

Sos una cancha llena de ilusiones
una canción que me rompe el pecho
y una vida que he dejado
en las piedras de tus calles.

sábado, 28 de agosto de 2010

Uruguai pune ditador

                                Gregorio Alvarez deve ter pensado: "Ah, bom mesmo é no Brasil..."

Justiça confirma 25 anos de prisão para ex-ditador uruguaio
MONTEVIDÉU, 27 Ago 2010 (AFP) -Um tribunal penal confirmou a pena de 25 anos de prisão para o ex-ditador uruguaio Gregorio 'Goyo' Alvarez (1981-85), por "37 crimes de homicídio especialmente agravados", cometidos durante a chamada operação "Cóndor", informou nesta sexta-feira a Suprema Corte de Justiça.

Continua no... UOL.

Por aqui, a história é outra.

martes, 24 de agosto de 2010

Trilha sonora do Prêmio Multishow

Minha sincera homenagem ao evento, que aconteceu na noite desta terça-feira...



Muita estrela pra pouca constelação
(Raul Seixas e Marcelo Nova)

A festa é boa tem alguém que tá bancando
Que lhe elogia enquanto vai se embriagando
E o tal do ego vai ficar lá nas alturas
Usar brinquinho pra romper as estruturas

E tem um punk se queixando sem parar
E um wave querendo desmunhecar
E o tal do heavy arrotando distorção
E uma dark em profunda depressão

Eu sei até que parece sério, mas é tudo armação
O problema é muita estrela, pra pouca constelação

Tinha um junkie se tremendo pelos cantos
Um empresário que jurava que era santo
Uma tiete que queria um qualquer
E um sapatão que azarava minha mulher

Tem uma banda que eles já vão contratar
Que não cria nada mas é boa em copiar
A crítica gostou vai ser sucesso ela não erra
Afinal lembra o que se faz na inglaterra

E agora vem a periferia

O fotógrafo, ele vai documentar
O papo do mais novo big star
Pra'quela revista de rock e de intriga
Que você lê quando tem dor de barriga

E o jornalista ele quer bajulação
Pois new old é a nova sensação
A burrice é tanta, tá tudo tão a vista
E todo mundo posando de artista.

lunes, 16 de agosto de 2010

Através de sua página no Twitter, amém! 

viernes, 13 de agosto de 2010

Falhou, falhou...

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB ao governo de São Paulo, e José Serra (também conhecido como Zé Alagão), presidenciável pelo mesmo partido, foram fazer campanha em uma escola pública em Heliópolis, na capital paulista. Um professor anunciou às crianças que elas receberiam a visita de alguns políticos.
Acesse o link e veja no que deu:  

"E eu fico com pureza da resposta das crianças..."

miércoles, 11 de agosto de 2010

Calma, Bonner!

Efeitos colaterais de Derrotox 45 
Efeitos colaterais de Derrotox 45 - Anvisa adverte: Derrotox 45 faz esperar 8 anos (pelo menos). O William Bonner tomou muito para entrevistar a Dilma. A sorte do Bonner foi a esposa, que o recolheu da lona após o nocaute.
 
Tirei do blog do Agenor Bevilacqua Sobrinho. Para visitá-lo, é só clicar aqui

lunes, 9 de agosto de 2010

- (...) Seria isso uma analise sócioantropológica...

 - ... da vida, da nossa geração perdida, desnorteada. Dos espaços sociais, do amor, da guerra e do medo.

 - Só não concordei com a “nossa geração perdida, desnorteada”. Há que se ter cautela. Temos pontos positivos.

 - As seguintes serão ainda piores. Risos. Há resquícios de amor e liberdade, temos que achá-los. Mas, no geral, acho que a mediocridade vai tomar conta. O egoísmo também. A intolerância, a ganância e o descontrole tomarão conta de nossas ruas, avenidas e esquinas mal cheirosas.
 

viernes, 6 de agosto de 2010

65 anos da rosa radioativa, estúpida, inválida...

"Aos poucos o ar se aclarou e consegui sair dos destroços. No caminho para um dos centros de emergência vi muita confusão. As ruas estavam tão quentes que queimavam meus pés. Casas ardiam, os trilhos de bonde irradiavam uma luz sinistra e no local de um templo pessoas se amontoavam. Algumas respiravam, a maioria estava imóvel. No pronto-socorro chegava gente correndo, as roupas rasgadas, chorando, gritando. Alguns tinham o rosto ensanguentado e inchado, outros tinham a pele queimada caindo aos frangalhos de seus braços e pernas. Em um bonde vi fileiras de esqueletos brancos. Havia também os ossos de pessoas que tentaram fugir. Hiroshima tinha se transformado num verdadeiro inferno."
Sumie Kuramoto, que presenciou o ataque naquela segunda-feira, 6 de agosto de 1945, pouco depois das oito da manhã.


"Venham seus senhores da guerra
Vocês que constroem as grandes armas
Vocês que constroem os aeroplanos da morte
Vocês que constroem todas as bombas
Vocês que se escondem atrás das paredes
Vocês que se escondem atrás das mesas
Eu só quero que vocês saibam
Que eu enxergo através de suas mascaras"
Masters of War, Bob Dylan 

miércoles, 28 de julio de 2010

Mães de Acari: coragem, amor e luto que o tempo não apaga


Chacina de Acari prescreve sem a identificação dos culpados  
20 anos após sumiço de 11 pessoas no Rio, ninguém foi punido

A luta contra a impunidade liderada pelas chamadas Mães de Acari acabou ontem, sem prisões. Há 20 anos, 11 pessoas desapareceram no crime que ficou conhecido como a chacina de Acari. Apesar do empenho do grupo, ninguém foi punido e o crime prescreveu ontem. Nessas duas décadas o grupo teve uma de suas integrantes assassinada, também sem que o algoz fosse identificado...

                              Elas nunca vão poder enterrar seus filhos

Quando li a notícia na Folha de S. Paulo de ontem (27/07), pensei na luta das Madres de Plaza de Mayo, na bravura de Zuzu Angel... Inevitavelmente, me veio esta canção:

"Quem é essa mulher
Que canta sempre esse lamento?
Só queria lembrar o tormento
Que fez o meu filho suspirar

Quem é essa mulher
Que canta como dobra um sino?
Queria cantar por meu menino
Que ele já não pode mais cantar"

Angélica, de Chico Buarque

jueves, 22 de julio de 2010

Aqui não entra vira-lata!

Saiu na coluna da Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, do dia 20/07. Depois de realizar o concurso que escolheu a criança mais bonita, o empresário João Doria Jr. promoveu em Campos do Jordão (sim, onde os paulistas acham que estão na Suíça) o Passeio de Cães. Bacana demais! Tamanha a importância do concurso, os cães que não foram vencedores em nenhuma categoria já estão tendo acompanhamento psicológico, assim como seus donos. 
Segue a nota, nobres visitantes deste ordinário blog:

CACHORRADA CHIQUE
O empresário João Doria Jr. realizou no sábado a oitava edição do Passeio de Cães, em Campos do Jordão. Houve premiações nas categorias: "Cão mais Bonito", "O Cão mais Parecido com o Dono", "O maior Cão", entre outras.
Link: 

Para o próximo concurso, sugiro ao João Doria mais algumas categorias:
- Cão que sabe falar mais idiomas
- Cão mais influente no mundo dos negócios
- Cão com a melhor situação financeira
- Cão que mais contribui para o desenvolvimento sustentável do planeta
e, por fim,
- Cão que foi fazer compras em Paris mais vezes.

Este lindo cachorrinho não pôde participar do concurso promovido pelo empresário. João Doria ficou enfurecido quando viu o cão perambulando pela Suíca Paulista. Uma lástima...

miércoles, 14 de julio de 2010

Procuram-se pequenos e lindos burgueses

Vou usar mais este espaço para postar notícias, frases e acontecimentos que acho de extrema relevância para a humanidade. Já passaram por aqui Viviane Araújo e Ângela Bismarck. Agora é a vez do empresário e apresentador João Doria Jr., que realizou, em Campos do Jordão (lá, os paulistas acham que estão na Suíça), um evento bacana demais. É de tirar o chapéu! 

Mande a foto de seu filho para ele

BELEZA INFANTIL
João Doria Jr. realizou no sábado a 8ª edição do Passeio de Bebês, em Campos do Jordão. Cerca de 3.000 pessoas, entre crianças e adultos, participaram do evento. Houve prêmios para as categorias "Bebê mais Bonito", "Mãe mais Bonita", entre outras.
Fonte: Coluna da Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo do dia 13/07/10
Link: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1307201006.htm


João Doria Jr. é tão legal que vou colocar aqui alguns trechos de uma entrevista para a Veja Edição Especial Vitrines de Ouro, de maio de 2005.

Você tem algum cuidado especial com a aparência? 
Além de fazer a barba pela manhã, no decorrer do dia costumo passar um barbeador elétrico no rosto para não ficar com a aparência cansada e desleixada.

É verdade que no Rancho Doria, sua mansão em Campos do Jordão, ao voltar de um passeio a pé, os hóspedes antes de entrar na sala têm seus tênis limpos por um empregado? 
Fazemos de tudo para ter a qualidade de um hotel cinco-estrelas. Tenho um bom time que poderia muito bem trabalhar em qualquer hotel dessa categoria. Eu e a Bia (sua mulher, a designer de jóias Bia Doria) gostamos muito de receber. As pessoas que convidamos para ficar lá são sempre muito bem tratadas e usufruem esse tipo de cuidado, sim.  

Onde você faz consumoterapia? 
No supermercado. Gosto especialmente de dois aqui em São Paulo: o Pão de Açúcar da Gabriel Monteiro da Silva e o Empório Santa Maria.  

E fora do Brasil? 
A Fauchon, em Paris, e a Dean & DeLuca, em Nova York.

Coleciona cartões de crédito? 
Tenho todos. Acho que é a forma mais segura e melhor de pagar as contas.
 
Outro evento bacana do empresário é o tradicional desfile de cães de madame que ele promove em Campos do Jordão

viernes, 2 de julio de 2010

O que tocou nos iPod's dos jogadores da Seleção após a derrota para a Holanda?

Este humilde blog acaba de receber (não posso, por pura ética jornalística, revelar a fonte. Mas é uma pessoa que esteve no ônibus  da Seleção) o repertório que tocou nos iPod´s dos jogadores brasileiros após a partida. Isso você só fica sabendo aqui. Não tem globo.com, r7.com, Folha Online... Essa informação de bastidores você só confere aqui. Vamos lá.

Gilberto Silva curtia um Lulu Santos: "E eu, eu tô voltando pra casa, outra vez... Eu tô voltando pra casa, de vez..."

Robinho, como bom pagodeiro que é: "Vou nadar e morrer na beira da praia..."

Lúcio, meio introspectivo, ouvia o Síndico, Tim Maia: "Ah, na vida a gente tem que entender que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri..."

Luís Fabiano, de olhos fechados, tentava esquecer o jogo: "Ai, ai, ai ai, tá chegando a hora, o dia já vem raiando, meu bem, e eu tenho que ir embora"

Juan foi consolado por Los Hermanos: "Todo carnaval tem seu fim, é o fim, é o fim..."

O carioca Felipe Melo mandava um Cartola no iPod: "Sim, deve haver um perdão para mim, senão nem sei qual será o meu fim..."

Kaká ia de Sandy e Júnior: "Não vou jogar mais o seu jogo, porque eu já sei, eu já notei que vou sofrer.."

Júlio César ouvia O Rappa: "Valeu a pena, valeu a pena, sou pescador de ilusões..."

Daniel Alves foi de Chiclete com Banana: "Não vou chorar, nem vou me arrepender, foi eterno enquanto durou, mas chegou ao fim..."

O comandante Dunga não quis nem saber de música. Ele foi de cinema. O filme? Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick.

Enquanto isso...
Enquanto isso, os holandeses tomavam caipirinha, dançavam alegres, desinibidos, com aquele gingado tropical, e cantavam junto com a música:

"Mas, que nada, sai da minha frente que eu quero passar..."

E assim foi.

domingo, 20 de junio de 2010

        O que é pior: minha montagem feita no Paint ou as transmissões da Globo?

Após a partida entre Brasil e Costa do Marfim, Galvão Bueno liga para Kaká, que atende o telefone com temor, como um filho que fez coisa errada e sabe que o pai vai repreendê-lo...

Galvão Bueno: Kaká, meu filho... Kaká !!! Kakááááááááááááááá !!!
Kaká: Oi, Galvão... Você fez aquele meio de campo para mim? Pô, você viu que eu só me protegi!
GB: Filho, pode deixar. Já falei durante a transmissão que você não teve intenção de machucar o seu colega de trabalho. Passei essa instrução para o Casagrande e o Falcão. Eles vão limpar sua barra também. O Arnaldo vai babar uma coisa ou outra, mas fique tranquilo: nós vamos falar que o juiz é péssimo, e nem vamos citar o lance de mão do Luís Fabiano. A gente fala que ele merecia o gol, que foi na raça. Que é do Brasil-sil-sil !!!!
KK: Poxa, Galvão... (Kaká, nesse momento, tem a voz atropelada por um sentimento de gratidão, que quase o leva ao choro) Agradeça ao pessoal aí da Globo. Globo e Seleção, tudo a ver. Mas, e o pessoal do SporTV? Eles vão falar mal de mim?
GB: (Galvão acende um cigarro...) Filho, ninguém aqui vai dizer que você levantou o cotovelo. Mesmo que todos tenham visto, nós vamos dar um jeito. Você sabe como o torcedor fica em época de Copa, né? É só a gente falar que 2+2=5 que eles comemoram. Fique tranquilo.
KK: Ufa (levantando os dois braços em direção ao céu), fico até mais aliviado... Agora vou para o Twitter mandar uma mensagem para a minha mulher e para o pastor lá da igreja. Sei não, mas ele pode ter ficado chateado com minha atitude pagã.
GB: Tudo bem, filho...Antes disso, Kaká, ajoelhe no milho, ore ao Senhor, chore um pouco, levante os dois braços em direção ao céu e assista ao Fantástico.
KK: Aleluia!

miércoles, 9 de junio de 2010


Apesar da face destruída,
da criança desnutrida
do Sistema que me trucida
das meninas que me animam
dos amigos que me alegram
das ruas que me inspiram
dos versos que me pegam
na contramão da avenida;

Apesar da comida mal servida
da noite mal dormida
da mulher mal comida
da vida mal vivida
da dor que ainda grita
da droga que me agita
da terra não-dividida
do silêncio, da calmaria.

Apesar de tudo isso,
digo, meus caros, portanto,
e não é para tanto
como um Dia do Fico
que se houver alguma suspeita
cheiro ou sinal de cartas na mesa
que seja um vestígio
ou um vento intrometido
não vacilo em afirmar
que os senhores podem contar comigo.

martes, 18 de mayo de 2010

Concordo e assino embaixo

Quem passar por aqui que não fique com preguiça e leia o texto abaixo.
Vale a pena.  

Do blog de Leandro Fortes:

Não verás Lula nenhum

Em linhas gerais, Luís Fernando Veríssimo disse, em artigo recente, que as gerações futuras de historiadores terão enorme dificuldade para compreender a razão de, no presente que se apresenta, um presidente da República tão popular como Luiz Inácio Lula da Silva ser alvo de uma campanha permanente de oposição e desconstrução por parte da mídia brasileira. Em suma, Veríssimo colocou em perspectiva histórica uma questão que, distante no tempo, contará com a vantagem de poder ser discutida a frio, mas nem por isso deixará de ser, talvez, o ponto de análise mais intrigante da vida política do Brasil da primeira década do século XXI.

A reação da velha mídia nativa ao acordo nuclear do Irã, costurado pelas diplomacias brasileira e turca chega a ser cômica, mas revela, antes de tudo, o despreparo da classe dirigente brasileira em interpretar o força histórica do momento e suas conseqüências para a consolidação daquilo que se anuncia, finalmente, como civilização brasileira. O claro ressentimento da velha guarda midiática com o sucesso de Lula e do ministro Celso Amorim, das Relações Exteriores, deixou de ser um fenômeno de ocasião, até então norteado por opções ideológicas, para descambar na inveja pura, quando não naquilo que sempre foi: um ódio de classe cada vez menos disfarçado, fruto de uma incompreensão histórica que só pode ser justificada pelo distanciamento dos donos da mídia em relação ao mundo real, e da disponib ilidade quase infinita de seus jornalistas para fazer, literalmente, qualquer trabalho que lhe mandarem os chefes e patrões, na vã esperança de um dia ser igual a eles.

Assim, enquanto a imprensa mundial se dedica a decodificar as engrenagens e circunstâncias que fizeram de Lula o mais importante líder mundial desse final de década, a imprensa brasileira se debate em como destituí-lo de toda glória, de reduzí-lo a um analfabeto funcional premiado pela sorte, a um manipulador de massas movido por programas de bolsas e incentivos, a um demagogo de fala mansa que esconde pretensões autoritárias disfarçadas, aqui e ali, de boas intenções populares. Tenta, portanto, converter a verdade atual em mentiras de registro, como se fosse possível enganar o futuro com notícias de jornal.

Destituídos de poder e credibilidade, os barões dessa mídia decadente e anciã se lançaram nessa missão suicida quando poderiam, simplesmente, ter se dedicado a fazer bom jornalismo, crítico e construtivo. Têm dinheiro e pessoal qualificado para tal. Ao invés disso, dedicaram-se a escrever para si mesmos, a se retroalimentar de preconceitos e maledicências, a pintarem o mundo a partir da imagem projetada pela classe média brasileira, uma gente quase que integralmente iletrada e apavorada, um exército de reginas duartes prestes a ter um ataque de nervos toda vez que um negro é admitido na universidade por meio de uma cota racial.

Ainda assim, paradoxalmente, uma massa beneficiada pelo crescimento econômico, mas escrava da própria indigência intelectual.

lunes, 10 de mayo de 2010

Dormem as mães dos guerrilheiros?

Aqui vai a minha homenagem.
Texto que me foi enviado pela Fátima, irmã de Amaury, desaparecido político morto pela repressão na ditadura militar.

Dormem as mães dos Guerrilheiros?
** Por Risomar Fasanaro

Quem é essa mulher / Que canta sempre este estribilho?/Só queria embalar meu filho/Que mora na escuridão do mar (*)

 

Não, ainda não é este ano que o coração de centenas de mães parará de sangrar. Ainda não é este ano que elas poderão dormir em paz. Isso só será possível quando souberem quem foram os algozes dos seus filhos que lutaram contra a ditadura. A esperança é de que, com seus nomes revelados se possa localizar onde eles estão enterrados ou se foram atirados ao mar. As mães só dormem tranquilas quando sabem que seus filhos estão dormindo, ainda que seja o sono eterno.
Os inúmeros abaixo-assinados pedindo a revisão da Lei da Anistia pedida pela OAB foram em vão. Por 7 a 2 venceu a indiferença à dor de tantas famílias que clamam por justiça. Não se pede o sangue dos torturadores, dos assassinos, pede-se sim, que seus crimes venham à luz, que esses nomes e rostos que há 46 anos se escondem no anonimato, sejam revelados.
Se as centenas de mães depois de verem seus filhos partirem com a promessa de trazerem de volta a liberdade perdida nunca mais os viram, que tenham pelo menos a sensação de alívio por saberem que os torturadores serão revelados.

“Quem é essa mulher/Que canta sempre esse lamento?/ Só queria lembrar o tormento/Que fez o meu filho suspira”.

Pergunte a qualquer mãe deste país que tenha filhos em casa se dormem enquanto eles não chegam. A resposta será sempre a mesma: “só durmo depois que eles chegam”. Pois é...o que dizer daquelas que não apenas não os vêem voltar, mas que sequer chegaram a vê-los depois de mortos?
O que dizer daquelas que ouviram falar que o filho (a) morreu sob tortura, mas não se sabe nem onde, nem se foi enterrado ou atirado ao mar? Poderá dormir?
 

"Quem é essa mulher / Que canta sempre este estribilho?/Só queria embalar meu filho/Que mora na escuridão do mar."
 

Por não entender de legislação, mas me sentindo enquanto cidadã com todo direito a saber, pergunto: é imutável uma lei? Depois de instaurada nunca mais poderá ser revista? Voltamos ao império onde “palavra de rei não volta atrás”?
Entendo que naquele momento em que se redigiu a Lei da Anistia vivíamos um sufoco, havia o sentimento de urgência que pedia a volta à democracia imediatamente, e é possível até que se pensasse que aquele “ampla geral e irrestrita” no futuro não desse certo, mas naquele momento (1979) era a possibilidade que tínhamos de ter nossos familiares, amigos, companheiros de volta à legalidade, de volta ao país.
Depois, quando passamos a viver momentos mais serenos (será?) em que é possível pensar com mais tranqüilidade, percebemos que não é bem assim. Que aquele ampla, geral e...” era grande em demasia, que não precisava tanta. Que poderia ser mais justa, mais honesta, mais clara. Que era preciso “dar nomes aos bois”.
Que praticamente todos que se opuseram ao regime ditatorial tiveram seus nomes e rostos revelados. Tiveram suas vidas vasculhadas da hora em que nasceram até o presente. Suas fotos estampadas em jornais e revistas. E os outros? Como ficamos?
Só os que lutaram contra a ditadura devem ser conhecidos? Os torturadores policiais e militares devem permanecer ocultos? Que justiça é essa?
Todos os crimes daquele período deveriam ser investigados e levados ao conhecimento da população. Pelo Tratado de Haia, do qual o Brasil é signatário, todos os crimes de tortura são imprescritíveis e deveriam ir a julgamento.
E uma das coisas que me causou mais surpresa foi ler no jornal que Eros Grau, um dos juízes que foi preso durante a ditadura, votou contra a revisão.
Fiquei pensando: naquele momento da votação o que passou pela cabeça do juiz? Teria ele se lembrado das torturas? Das “caras” daqueles que o submeteram aos suplícios no DOI/CODI?
E qual terá sido a reação do seu corpo, do seu espírito? Não sentiu nada? Pra ele tanto faz os crimes ficarem impunes? É difícil imaginar alguém assim ter escolhido a justiça como sua principal tarefa neste planeta.
Seria como se para um professor tanto fizesse se as crianças saíssem das escolas sem terem aprendido nada, sem sequer terem sido alfabetizadas. Sentir que sua profissão é inútil. Seria como se a um engenheiro pouco importasse se o viaduto que projetou viesse a cair logo depois. Um horror.
O ministro disse que não cabe ao STF alterar textos normativos que concedem anistias. Cabe a quem, cara pálida? E se não cabe ao STF, por que foi dirigida a eles essa revisão?
 
“Quem é essa mulher/ que canta sempre o mesmo arranjo?/ Só queria agasalhar meu anjo/ e deixar seu corpo descansar”.

Mas ainda resta uma esperança. Se a pessoa se sente injustiçada em seu país, poderá recorrer às Cortes Internacionais. Atualmente, o Brasil é réu na Corte Interamericana de Direitos Humanos no caso dos integrantes da Guerrilha do Araguaia que foram presos torturados e desaparecidos. No próximo dia 20 haverá uma audiência sobre o caso e se a justiça não vem de casa, poderá vir de fora, o que, convenhamos é mais do que lastimável, é vergonhoso.
 
"Quem é essa mulher/que canta como dobra um sino/ queria cantar por meu menino/ que ele já não pode mais cantar”.

Que nesse próximo Dia das Mães, as que perderam seus filhos nas mãos dos algozes da ditadura, e clamam por justiça, cantem por eles. Em algum lugar deste país, seja enterrado em alguma floresta, seja no fundo do mar, eles as escutarão.
 
(*) “Angélica”- canção que Chico Buarque de Hollanda compôs em homenagem a Zuzu Angel, que jamais soube para onde levaram seu filho morto.



viernes, 7 de mayo de 2010

Devaneios de um presidenciável

José Serra já foi ministro da Saúde do FHC.
Ele quer ser presidente.
Dizem por aí que ele está preparado, que chegou a hora dele.
Jornais do PiG(*) elogiam sua simpatia e bom humor. (?!)
Nesse vídeo ele explica a gripe suína. (!!)
Parece mentira. Mas nao é.
José Serra é um gênio!

(*)Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
- PiG é um termo criado por Paulo Henrique Amorim, que mantém o excelente www.conversaafiada.com.br

jueves, 6 de mayo de 2010

Livrando...

"O projeto consiste em incentivar que as pessoas libertem os seus livros em locais públicos (cafés, transportes públicos, estacionamentos, escolas, bancos de praças e outros lugares que a imaginação ditar) para que o maior número de pessoas os possam ler, em vez de os manterem parados nas suas estantes. Desta forma, o acesso à cultura e especificamente à leitura torna-se verdadeiramente universal." http://www.livrando.com.br/

jueves, 29 de abril de 2010

Brasil: é permitido torturar!

Enquanto os argentinos estão condenando os assassinos do regime militar (http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u723654.shtml), por aqui nós inocentamos os torturadores da Ditadura (http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/04/29/supremo-vota-anistia-a-torturador-partes-relatam-suas-sustentacoes/).

Para quem pensa que tortura é coisa dos tempos da Ditadura, "que nem foi tão dura assim", diriam alguns gênios que insistem em negar nossa história: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u727671.shtml

Brasil-sil-sil !!!

martes, 23 de marzo de 2010

O lunático está na minha cabeça

Ziguezagueando pela internet, vi uma chamada para um vídeo sobre a "pelada inusitada" de alguns jogadores do Santos. A curiosidade me bateu à porta. Quando dei play, uma voz histérica começou a urrar com assustador desespero chauvinista, ecoando fortemente em minha cabeça. Gritava, babava, cuspia... 
Extasiado, fora de si, mal conseguia escolher as palavras. Seria uma alucinação? Pois essa voz não vinha do vídeo; ela saiu de minha mente inquieta e perturbada. Vozinha mais desgraçada! Fiquei assustado com a veemência do discurso. Coisa mais estranha... Tô ressabiado.
Vou deixar aqui as palavras que rondaram - sim, por sorte a voz já se foi - minha cabeça. Caso alguém leia e saiba algo a respeito dessa voz desavergonhada e intrometida, avise-me. Sei lá, podemos dar um jeito de descobrir que feitiçaria é essa. Sai de mim, oxe...

Eis o que a voz me gritava: 
Que belezaaaaaaaa !!!!! Esses são os Meninos da Vila, a mais nova trupe de circo do futebol brasileiro. É bonito, é malandragem na ponta da chuteira, é Brasil-sil-sil-sil !!!!!!!!!! Esse é o futebol brasileiro, essa é a molecada que dá show, que samba, dança na chuva, que sua e não tem medo de ser feliz !!!!!! Eita povo que sacode a poeira e dá a volta por cima !!!!!! Deus é brasileiro e olha (ora) por nós !!!!! Ele só pode ter nascido aqui, nessas terrras onde o sabiá canta mais feliz !!!! É bonito de se ver !!!!! É bonito demais ver esse sorriso estampado na cara desses moleques !!!! Povo alegre que sorri, nunca reclama !!!! Essa é pra gringo ver, meu amigo !!!! Isso só tem aqui !!!!!!
Brasil-sil-sil-sil !!!!!!!!!!

Eis o vídeo:
http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Santos/0,,MUL1540339-9874,00-MENINOS+DA+VILA+JOGAM+UMA+PELADA+INUSITADA+NA+VILA+BELMIRO.html

jueves, 11 de marzo de 2010

Suco de PiG(*)


"Desde 2002 o objetivo da imprensa brasileira tem sido o de derrubar o presidente Lula. E não conseguiram porque o Lula é melhor que todos eles. O presidente pega o Globo, a Veja, a Folha e o Estadão, mistura tudo, põe no liquidificador e toma com suco de laranja."
(Paulo Henrique Amorim)

Entrevista completa do PHA: http://www.revistastravaganza.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=52

(*)Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista

jueves, 18 de febrero de 2010

Todo carnaval tem seu fim

Texto que publiquei no blog da Ragga.
Link: http://www.dzai.com.br/revistaragga/blog/daredacao

 Há muito se diz que o ano e o Brasil só começam a funcionar de fato depois do carnaval, essa festa que agita o país de norte a sul, que é a redenção ou o ópio do povo. Com o fim de mais uma folia, o brasileiro terá pela frente um ano de eleições presidenciais, além de também elegermos governadores, deputados estaduais e federais e senadores. Cuidado para a ressaca do carnaval não durar todo o ano. Nem só de folia vive um país.

Num lado mais ameno e menos sério que a política - o assunto política é sério, ainda que a maioria dos políticos não o sejam -, 2010 também é ano de Copa do Mundo, aquele outro carnaval que acontece de 4 em 4 anos. A seleção canarinho tentará mais um título mundial, o que seria o hexacampeonato do escrete que já encantou o mundo e hoje alegra mais os patrocinadores do que os boleiros. Daqui vamos ver o torneio como mais um motivo para fazer festa, beber e tentar afirmar, ainda que involuntariamente em muitos casos, patriotismo e sentimento nacionalista. Sim, durante a Copa do Mundo o brasileiro é invadido por sentimentos pela nação, pela bandeira e pelas nossas cores. E depois da competição? A história é diferente?

Claro está, na minha opinião, que cada cidadão deve assumir sua parcela de responsabilidade e não só se preocupar em jogar a batata assando para o outro. A mudança tem que partir de cada um. Se não for assim, vamos continuar a excomungar, como se trouxéssemos a cartilha da moralidade e da ética debaixo das axilas, os políticos que desviam verba e, ao mesmo tempo, continuamos a estacionar o carro em local proibido, jogar lixo pela janela ou tentar dar um "jeitinho brasileiro" - leia-se corrupção, malandragem no pior sentido da palavra - na hora de resolver alguma burocracia.

O carnaval foi bom para você que viajou, foi para a praia ou para Diamantina? Foi bom para você que ficou com em Belo Horizonte trabalhando? Foi bom para você que não fez absolutamente nada? Se foi bom, ótimo. Caso contrário, não esquente a cabeça: carnaval não é a coisa mais importante do mundo, todo ano tem. 

E já que estamos em ano de eleição, não trate seu voto como uma latinha de cerveja que você bebe euforicamente e depois joga no chão esperando que algum necessitado a recolha. Não confunda folia com eleição, com o futuro do país. Caso contrário, você vai ser sempre tratado como o palhaço do bloco dos alegres e alienados ou como aquele folião joão-bobo que cai pra lá e pra cá sem saber onde está.

domingo, 31 de enero de 2010

With a little help from my friends

Para os que não sabem o que me  aconteceu na viagem feita no fim de 2008, explico: o plano era sair de Buenos Aires, onde eu morava, e chegar a Machu Picchu fazendo uma viagem de cinco semanas pelo norte argentino e Bolívia, tendo no Peru a escala Cuzco/Machu Picchu como destino final. Depois voltaria a Buenos Aires, ficaria uma semana e pegaria a estrada para casa, Belo Horizonte. Na volta a Buenos Aires fui roubado em La Paz. Na mochila estavam os 14 filmes de 36 que eu havia tirado durante toda a viagem. Porra, fiquei triste pra caralho. Eu tirava as fotos com uma vontade danada de vê-las reveladas. Agora o que resta é contar com ajuda de alguns companheiros com quem me juntei aqui e ali, lá e acolá, durante a viagem. Andrea, um camarada italiano gente-fina que conheci em Buenos Aires e que por pura casualidade da vida estava em Cuzco na mesma época, me mandou há alguns meses algumas fotos de quando fomos juntos a Machu Picchu. Chloé, uma doce francesa, e Simon, outro francês buena onda, também me mandaram fotos de La Paz. O dinamarquês Thorbjørn mandou algumas de quando estávamos em Salta e Cafayate, cidades da província de Salta, norte argentino. E assim, aos poucos, vou conseguindo registros daquela inesquecível viagem.
                                                                          Machu Picchu

 
 
  

 
La Paz
  
Eu e Simon em La Paz
  
Eu e Chloé - La Paz
  
Rodoviária de Salta, norte da Argentina
 
Salta
 
Rodoviária 

Cafayate, província de Salta

martes, 5 de enero de 2010

Certa feita...




Ele disse:
"Para conhecer um homem é preciso caminhar um quilômetro e meio com suas botas."